A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE DE COELHOS SUBMETIDOS A DIFERENTES DENSIDADES POPULACIONAIS / CHEMICAL COMPOSITION OF THE RABBITS MEAT REARED IN DIFFERENT STOCKING DENSITY

KARLA A.O. LIMA, MARIA I. F. CARNEIRO, DANIELLA J. MOURA

Resumo


A produção intensiva de coelhos é uma economia rentável considerando-se sua alta prolificidade, seu fácil manejo e sua produção em pequenos espaços. No entanto esta produção também não está livre de problemas relacionados à falta de bem-estar. Uma vez que esta carne apresenta boas características nutricionais e com valores já estabelecidos; a alteração no número de alguns
de seus constituintes pode ser indicativa de que é oriunda de um animal que não foi criado em condições de bem-estar. Este trabalho teve como objetivo avaliar a composição química da carne de coelhos da raça Nova Zelândia criados em diferentes densidades populacionais. Os animais foram divididos nos seguintes tratamentos: A - 0,09 coelho m-2, B – 0,072 coelho m-2 e C – 0,06
coelho m-2, correspondendo a 4, 5 e 6 coelhos por gaiola, respectivamente. Aos 89 dias os animais foram abatidos para avaliação do rendimento de carcaça. Em seguida, as carcaças foram desossadas, moídas e congeladas para determinação da composição química (umidade, gordura, proteína, cinzas e fósforo). Os resultados quanto ao ganho de peso dos animais foram: 1163g, 1086g e 1087g, para os tratamentos A, B, C respectivamente. A análise da composição química,
não foi alterada pelas diferentes densidades de criação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2007v1n2p173-180

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.