VISÃO ARTIFICIAL PARA A DIAGNOSE NUTRICIONAL DO MILHO CULTIVADO COM SILICATO DE CÁLCIO E MAGNÉSIO EM DOSES PONDERAIS E ALTAS DILUIÇÕES

M. M. Baesso, T. M. G. Aprilanti, A. J. Modolo, F. Rossi

Resumo


A hipótese do presente trabalho foi que um sistema de visão artificial fosse capaz de caracterizar a deficiência nutricional na folha do milho, sob preparados homeopáticos, com a utilização das propriedades espectrais da cultura. O trabalho, realizado na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) – Universidade de São Paulo (USP), em Pirassununga/SP/Brasil estudou o comportamento nutricional da cultura do milho (Zea mays L.), hibrido Biogene 7049H. O delineamento experimental utilizado foi o blocos ao acaso com 6 tratamentos: silicato de cálcio e magnésio, nas seguintes dinamizações CH6 (diluição a 10- 12), CH9 (diluição a 10-18), CH12 (diluição a 10-24) e CH15 (diluição a 10-30), um tratamento controle sem aplicação de silício e um tratamento com silicato de cálcio e magnésio na dose de 1 t ha-1, com 10 repetições. As folhas de milho foram digitalizadas por "scanner" e o processamento das imagens foi realizado pelo programa MATLAB®. Três diferentes tamanhos de blocos de imagem foram testados 9 x 9; 20 x 20 e 40 x 40 “pixels”. Os melhores resultados foram alcançados pelos blocos de 40 x 40 “pixels”.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2020v14n1p36-47

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.