PRODUÇÃO DE MILHO EM DIFERENTES PROFUNDIDADES DE PLANTIO

A. P. F. Silva, D. J. da Costa, D. L. C. Vicente, A. A. da Silva, C. S. Pereira

Resumo


O milho (Zea mays L.) é um dos cereais mais utilizados e relevantes, devido às suas propriedades nutricionais, composição química e diversidade de utilização, tanto na alimentação humana quanto animal. Com as constantes inovações no setor agropecuário, buscando-se uma melhor produção e redução de custos, surge um crescente interesse por prover alternativas que maximizem os resultados produtivos do setor. Nesse contexto, o objetivo deste experimento foi analisar os resultados e variações da cultura do milho, em relação ao seu desenvolvimento e produtividade, obtida em diferentes profundidades de plantio. O experimento foi implantado em condições de campo, utilizando o delineamento em blocos casualizados, constituídos de 4 tratamentos e 4 repetições, em 4 linhas, espaçadas a 0,55 metros entre linhas e 16 metros de comprimento, totalizando 35,2m² por parcela. Foram empregados quatro tratamentos: 1, 2, 3 e 4, definidos a 1 cm, 3 cm, 5 cm e 7 cm respectivamente. Foram avaliados os seguintes parâmetros: índice de velocidade de emergência, diâmetro de colmo, altura da planta e produtividade. Com este estudo, observou-se que o índice de velocidade de emergência sofre influência da profundidade de semeadura, quanto menor, mais rápido a planta emerge. Em relação à produtividade, o resultado foi inverso ao IVE, ou seja, quanto maior a profundidade, melhor o índice produtivo da cultura analisada, ratificado pelo melhor índice de diâmetro do colmo, altura e produção.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2019v13n4p330-338

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.