ESTOQUES DE CARBONO E RETENÇÃO HÍDRICA EM BIOMASSA DE GRAMÍNEAS NO AGRESTE DA PARAÍBA

P. L. F. da Silva, F. P. de Oliveira, W. E. Pereira, J. O. de M. Borba, D. D. Tavares, T. E. D. Santos, A. F. Martins

Resumo


O sistema de manejo, quando adotado de forma incorreta pode ocasionar à degradação física, química e biológica do solo, principalmente na ausência de cobertura vegetal. A escolha da gramínea é parte fundamental nos sitemas de produção, principalmente quanto a produção de matéria seca e a deposição de carbono ao solo, favorecendo a recuperação de ambientes degradados. Sendo assim, objetivou-se com este trabalho avaliar o estoque de carbono e a retenção hídrica em biomassa de gramíneas cultivadas no agreste da Paraíba. O experimento foi instalado em área experimental do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, Areia (PB) (6°58’12’’S; 35°41’15’’W). O delineamento foi de blocos casualisados composto pelos seguintes tratamentos T1 - Brachiaria decumbens Stapf., T2 - Brachiaria brizantha, T3 - Brachiaria humidicola (Rendle) Schweick vr., T4 - Brachiaria brizantha cv. MG5 - Vitória e T5 - Sem cobertura vegetal. As variáveis analisadas foram: carbono orgânico total, estoque de carbono, produção de matéria seca e reteção hídrica na matéria seca. De acordo com os resultados, a Brachiaria brizantha foi superior na produção de matéria seca e na capacidade de retenção hídrica. O carbono orgânico total e o estoque de carbono não variaram entre os tratamentos avaliados.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2019v13n2p155-167

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.