FILTRAÇÃO LENTA: MAPEAMENTO SISTEMÁTICO DE TESES E DISSERTAÇÕES BRASILEIRAS

A. J. Lima, D. G. Santos, D. C. G. S. Michelan, L. C. Mendonça

Resumo


As primeiras estações de tratamento de água eram constituídas de filtros lentos. A ação de peneiramento juntamente com mecanismos físico-químicos e destacadamente biológicos dotavam este sistema de grande eficiência no tratamento de água, principalmente no que se refere a microrganismos patogênicos. Entretanto, este processo vem sendo substituído por técnicas mais complexas e, em muitos casos, mais caras. Isto se deve em parte pela redução da qualidade da água dos mananciais abastecedores e parte pelo desconhecimento das possibilidades e soluções técnicas para filtração lenta. Dada a situação supracitada, esta pesquisa realizou um mapeamento sistemático da literatura pela busca por teses e dissertações apresentadas aos programas de pós-graduação brasileiros, adotando procedimentos padronizados para este tipo de revisão. O mapeamento sistemático resultou em 29 trabalhos alinhados ao tema de pesquisa, que constituíram o Portifólio Bibliográfico da pesquisa, de maneira que sua análise permitiu, dentre outros: avaliar as publicações por período, instituições que mais estudam o tema, professores envolvidos e suas relações, conhecer os programas potencialmente detentores de trabalhos sobre o tema e ratificar a eficiência dos termos “filtração lenta” e “tratamento de água” na busca por trabalhos sobre filtros lentos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2019v13n2p132-146

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.