USO NÃO AGRÍCOLA DO SOLO: A TINTA DE TERRA COMO INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTÁVEL / NON AGRICULTURAL USE OF SOIL: EARTH INK AS TECHNOLOGICAL AND SUSTAINABLE INNOVATION

A. F. M. Vital, F. L. Cavalcante, J. M. M. Araújo, I. S. Barbosa, D. S. Oliveira, G. H. Azevedo

Resumo


A exploração indiscriminada dos recursos naturais direciona o mercado a buscar novas tecnologias como alerta à possível escassez de materiais. No contexto da construção a utilização de novas alternativas para pintura é uma urgência e o uso da tinta a base de terra é uma alternativa inovadora, econômica e viável, considerando o apelo socioambiental da proposta. O trabalho objetiva apresentar a percepção de agricultores sobre a pintura com tinta de terra, como ecotecnologia social para a valorização das potencialidades não agrícolas do solo e oportunidade de geração de trabalho e renda. As atividades aconteceram numa associação rural do Cariri paraibano. Inicialmente foi aplicado um questionário semiestruturado para verificar o entendimento dos participantes sobre a morfologia e uso não agrícola do solo. A seguir realizou-se a oficina de pintura com terra (geotinta). Os resultados apresentam a ausência de conceitos sobre as características do solo e suas potencialidades não agrícolas. Após a oficina a percepção dos agricultores mudou e estes revelaram-se entusiasmados pela tinta de terra, como inovação para pintura da casas e como oportunidade de agregar renda pelo artesanato. Evidencia-se a geotinta como possibilidade para disseminação de conceitos sobre o solo, promoção de posturas sustentáveis e ecotecnologia para inovação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2018v12n2p144-151

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.