ESTUDO COMPARATIVO DO MÉTODO PADRÃO DA ESTUFA E DO MÉTODO SPEEDY NA DETERMINAÇÃO DO TEOR DE ÁGUA NO SOLO / COMPARATIVE STUDY OF THE STANDARD OVEN-DRYING AND THE SPEEDY METHOD FOR DETERMINING SOIL WATER CONTENT

K. M. Ribeiro, M. H. de C. Castro, K. D. Ribeiro, P. L. T. Lima, L. H. P. Abreu, K. L. C. Barros

Resumo


A umidade do solo determina a quantidade de água retida nos espaços porosos do solo. O conhecimento desta propriedade é de suma importância, pois a água pode alterar o comportamento do solo. Dentre os métodos utilizados na avaliação dessa propriedade para avaliar essa propriedade destaca-se o método do speedy e o método da estufa. O objetivo desse trabalho foi comparar os resultados de umidade do solo obtidos através do método gravimétrico padrão de secamento em estufa e do método speedy. Foram coletadas amostras em triplicata de quatro classes de solo (Latossolo Vermelho, Latossolo Vermelho-Amarelo, Cambissolo e Argissolo), oriundas da cidade de Lavras – MG, provenientes da Universidade Federal de Lavras – UFLA, e analisadas em laboratório quanto a sua granulometria e umidade. Para determinar a umidade das amostras foram seguidos os procedimentos referentes as normas NBR 6457 para o método da estufa e as normas do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER-ME 052/94) para o método do speedy. Foi possível verificar que o método do speedy forneceu valores de umidade abaixo daqueles determinados pelo método da estufa, possivelmente em virtude da dificuldade de desagregação total das partículas no interior do aparelho, de modo que, quanto maior a umidade do solo, mais os valores obtidos pelo método do speedy se afastaram daqueles obtidos pelo método da estufa. Observando-se as divergências encontradas, análises de regressão linear foram realizadas para obter uma equação de calibração do método do speedy para se atingir um valor mais aproximado do método da estufa. O modelo que melhor se ajustou foi hSC= 46,292254 – 333,088487 / hSD, apresentando um R² = 0,8843.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2018v12n1p18-28

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.