UTILIZAÇÃO DA BUCHA VEGETAL DE CURCUBITÁCEA COMO MATERIAL SUPORTE EM REATOR ANAERÓBIO DE LEITO FIXO / USE OF CUCURBITACEOUS BUSH AS SUPPORT MATERIAL IN ANAEROBIC FIXED BED REACTOR

T. B. Magassy, J. V. C. Fagundes, A. S. Araújo, A. P. de Oliveira Netto

Resumo


Este projeto avaliou o desempenho de um sistema para tratamento de esgoto sanitário operando de modo contínuo e sem recirculação da fase líquida. O trabalho se diferencia por utilizar a bucha vegetal de curcubitácea como material suporte do reator, pouco estudada para essa finalidade de tratamento biológico de efluentes. Esse material se caracteriza por ser leve, barato e facilmente encontrado na região do alto sertão alagoano, além de ser integralmente natural e com características favoráveis à imobilização de biomassa. A bucha curcubitácea vem se mostrando bastante eficiente para o tratamento de efluentes líquidos, relacionando os conceitos de sustentabilidade e eficiência. Foi utilizado um reator anaeróbio, em escala de bancada, de leito fixo e fluxo contínuo de escoamento ascendente. O desempenho do sistema foi avaliado em três diferentes tempos de detenção hidráulica (TDH), 8, 6 e 4 horas. Os valores efluentes médios para nitrogênio amoniacal foram de 22,71 mg N/L; 27,97 mg N/L; e 32,40 mg N/L para tempos de detenção hidráulica (TDH), 8, 6 e 4 horas, respectivamente. Em termos de remoção de matéria orgânica representada pela DQO, o reator apresentou eficiência média de 73,0%, 59,7% e 64,0% para cada tempo estudado. Nesta pesquisa, foi desenvolvido um sistema de tratamento de esgoto sanitário estável, confiável e eficiente, em escala de bancada (experimental), baseado nos princípios do tratamento de efluentes por via biológica.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2017v11n2p142-153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.