AMENIZAÇÃO DE ESTRESSE TÉRMICO VIA APLICAÇÃO DE BIOESTIMULANTE EM SEMENTES DE MELOEIRO CANTALOUPE / THERMAL STRESS ALLEVIATION BY BIOSTIMULANT APPLICATION ON CANTALOUPE MELON SEEDS

E. P. Vendruscolo, A. P. B. Martins, L. F. C. Campos, A. Seleguini, M. M. dos Santos

Resumo


Objetivou-se obter informações a respeito da utilização de bioestimulante sobre a amenização do estresse térmico na fase de germinação e desenvolvimento inicial do meloeiro Cantaloupe. O estudo foi desenvolvido em esquema de blocos inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4x2, composto pelas doses de bioestimulante (0, 4, 8, e 12 mL L-1) e temperaturas (25°C e 40°C). Foi avaliada a taxa de germinação, o tempo médio de germinação, o índice de velocidade de germinação, o crescimento inicial das plântulas e a massa seca de parte aérea e raiz de plântulas. Observou-se que a taxa de germinação foi favorecida pelo aumento das doses de bioestimulante em ambas as temperaturas. No entanto, a temperatura de 40°C interfere negativamente no tempo médio e no índice de velocidade de germinação. Houve efeito positivo para a aplicação de bioestimulante apenas para sementes submetidas à temperatura de 40°C sobre o tempo médio de germinação e o índice de velocidade de germinação, enquanto que na temperatura de 25°C o bioestimulante prejudicou o tempo médio de germinação. Portanto, o bioestimulante pode ser utilizado para melhorar o desenvolvimento inicial do meloeiro em regiões que apresentem altas temperaturas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18011/bioeng2016v10n3p241-247

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


BIOENG, UNESP, Tupã, SP, Brasil. e-ISSN: 2359-6724

 Licença Creative Commons

A Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.